Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

IBM Watson permite conversa com personagens de Dom Casmurro em exposição no Itaú Cultural

Publicado

em

Obra de Machado de Assis é interpretada por aplicação tecnológica desenvolvida com inteligência artificial. Público pode fazer perguntas aos personagens do livro via texto

Quais perguntas você faria aos personagens de Dom Casmurro, uma das obras de literatura mais lidas no país? De 08 de junho a 06 de agosto, uma obra de arte computacional desenvolvida pela IBM, usando recursos de computação cognitiva, permite ao público interagir com Capitu, Bentinho e Escobar. A experiência interativa figurará entre as 10 obras que serão apresentadas na mostra Consciência Cibernética [?], realizada no Itaú Cultural, em São Paulo, até 13 de agosto.

Intitulada “Café com os Santiagos”, o projeto faz alusão ao sobrenome do protagonista Bento de Albuquerque Santiago (Bentinho) e recria, por meio de recursos de inteligência artificial, uma conversa entre o público da exposição e os três principais personagens do livro. Na prática, o visitante pode participar de ‘um café’ com Capitu, Betinho e Escobar e fazer perguntas a cada um deles através de um tablet. Cada questionamento é respondido usando trechos de diálogos da obra projetados na mesa usando recursos de animação.

A plataforma de computação cognitiva da IBM, Watson, foi utilizada para transformar os diálogos dos livros em conversas interativas com as personagens, ajudando o público a entender a obra de Machado de Assis por um ângulo totalmente novo e divertido. Exatamente por isso, o cenário da mesa de café da tarde inclui um jogo de chá, chapéus, toalhas de crochê e outros detalhes cenográficos que representam o período em que a obra foi escrita.

Machado de Assis é reconhecido pela construção de prosa e diálogos de grande sutileza, e Dom Casmurro (publicado em 1899) é considerado por muitos o melhor exemplo da literatura clássica brasileira. Em “Café com os Santiagos”, o formato de diálogo interativo, possibilitado pelos recursos de inteligência artificial, revela ao público vários elementos da complexidade Machadiana, incluindo a ambiguidade e a ironia característicos do autor, e materializa o mistério da história de Capitu.

“Este projeto explora de maneira inovadora o papel de plataformas como o Watson, que é o de ajudar seres humanos a extrair valor da enorme quantidade de informações que os cerca. A novidade desta aplicação é que uma conversa com múltiplos agentes de inteligência artificial ao mesmo tempo, o que vai ser a característica marcante da segunda onda de chatbots. Hoje, chatbots respondem perguntas e ajudam a realizar serviços simples, mas sempre de forma individual. No futuro vamos interagir com vários chatbots ao mesmo tempo, colaborando no processo de tomada de decisões como se estivéssemos em uma reunião.”, diz Claudio Pinhanez, líder de tecnologias de conversação do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil.

A obra interativa foi criada pelo executivo juntamente com Heloisa Candello, pesquisadora e designer do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil e o produtor e criador em artemídia, Paulo Costa. O projeto foi construído na plataforma de desenvolvimento de aplicações na nuvem, IBM Bluemix e utiliza os serviços de Watson Conversation, Watson Tone Analyzer e Watson Text-to-Speech. A aplicação permite a conversa entre os personagens e os visitantes, detecta a emoção nas perguntas realizadas e torna a obra acessível a portadores de deficiência visual com auxílio dos serviços de conversão de texto em fala por meio de um chatbot que roda em um tablet.

 

IBM Watson: plataforma cognitiva para negócios

O Watson representa a nova era da computação, no qual os sistemas compreendem o mundo de modo mais similar aos humanos: por meio de sentidos, aprendizagem e experiência. O Watson aprende continuamente por meio de interações prévias, ganhando em valor e conhecimento ao longo do tempo.

Como parte da estratégia da IBM para acelerar o crescimento da computação cognitiva, o Watson está aberto para o mundo, permitindo que desenvolvedores, estudantes, empresários e entusiastas técnicos possam explorar a mais avançada e diversa plataforma de computação cognitiva disponível atualmente para negócios. As soluções do Watson estão sendo construídas, utilizadas e empregadas em mais de 45 países, em 20 diferentes tipos de indústrias.

Continue lendo

Digital

Agência3 assina projeto digital sobre sustentabilidade para DOW

Publicado

em

Diálogos Mais Sustentáveis é uma plataforma de conteúdo criada pela Agência3 para DOW, empresa líder em ciência dos materiais, com o objetivo de discutir os desafios mais críticos que envolvem a sustentabilidade na América Latina e propor ações de impacto positivo. A ideia é que seja um espaço de compartilhamento de informações e de parceria com a sociedade para a construção de um mundo mais sustentável. A Dow oferece produtos e soluções de base científica para mercados importantes como embalagens, infraestrutura e cuidados do consumidor.

A agência fornecerá conteúdo digital para reforçar a comunicação com vários públicos e dar visibilidade ao projeto, reforçando o compromisso da marca com a sustentabilidade. Entre as metas da empresa estão a redução das emissões anuais de carbono até alcançar a neutralidade em 2050, investir em tecnologia para reciclagem de plásticos e até 2035 oferecer 100% de produtos reutilizáveis ou recicláveis nas aplicações de embalagens.

“A intenção é, por meio do nosso hub de conteúdo, abrir um espaço de conversa que amplie o conhecimento para reforçar as mudanças em nome da sustentabilidade”, diz Willian Rocha, Diretor de Conexões da Agência3.

Continue lendo

Digital

Estácio é o novo cliente da Raccoon

Publicado

em

A agência de marketing digital Raccoon assume a conta da Estácio, um dos maiores players de educação superior no Brasil, com uma enorme presença nacional. Entre outras ações, o escopo de trabalho da agência envolve gestão, performance (mídias pagas, web analytics e design) e criação de conteúdo digital (conteúdo, CRM, CRO, SEO e Front End). A parceria entre as empresas teve início em dezembro de 2020.

De acordo com André Palis, sócio-fundador da Raccoon, a conta da Estácio era um desejo antigo da empresa e um enorme desafio para a equipe. “Trata-se de um projeto bastante profundo. O segmento educacional é muito concorrido, os players do setor têm uma presença forte e intensa no ambiente online, de modo que o nível de trabalho tem que ser bem elevado”, afirma.

Continue lendo

Digital

Com estratégia Reamp e soluções para aplicativo do Google e Facebook, Movida transforma app em um dos principais geradores de negócios

Publicado

em

O uso de aplicativos para serviços automotivos apresenta grande crescimento no Brasil: segundo o eMarketer, até 2019, a popularidade desse serviço entre os donos de smartphones cresceu a uma taxa de 15% por ano, desde 2017. Foi percebendo essa oportunidade que a Reamp, adquirida pelo digital partner global Jellyfish em 2020, e a Movida Aluguel de Carros, locadora de veículos que oferece soluções inovadoras em mobilidade urbana para todo tipo de necessidade, criaram um projeto de otimização de aplicativo com tecnologia Google que transformou a performance nesse canal. O projeto contou, ainda, com o estudo direcionado sobre Aumento de Conversão do Facebook, com otimização da campanha também pela rede social.

O projeto, que ganhou ainda mais visibilidade com mudanças necessárias provocadas pela pandemia de COVID-19, começou com uma análise simples: a observação de que o site concentrava todas as conversões online, enquanto o app, que oferece praticidade e rápido acesso, gerava somente visitas, não conversões. “Era uma questão de centralizar a ciência de dados em mensuração e direcionamento de campanha. Com o aplicativo otimizado para compra, restava entender como engajar o usuário e apresentar para ele a oferta oportunamente”, contou Charles Sperandio, CMO da Movida.

A solução da Reamp foi simples: centralizar a mensuração no Analytics Firebase, do Google, e enviar, por lá, notificações via push de acordo com variantes como clima, audiência mais responsiva e geografia. “A ferramenta do Firebase, nesse contexto, acaba sendo essencial para a estratégia de crescimento, centralizando as informações sobre o app em um só lugar e permitindo uma mensuração mais precisa de desempenho, possibilitando ajustar estratégias em tempo real”, comenta Gustavo Galli, Gerente de Parcerias do Google.

A aferição do valor da otimização de social, feita em parceria com o Facebook, calculou o incremento das vendas – um método conhecido como Conversion Lift. Foi possível observar que, dentro das campanhas de social, a pesquisa foi fundamental e revelou tanto a importância da campanha na rede social (responsável pelo aumento do ROAS – Retorno Sobre o Investimento Publicitário – em mais de cinco vezes), quanto da sedimentação da mensagem pelo multicanal – contribuindo, também para as compras feitas dentro do aplicativo. Em resumo, a nova estratégia da Movida no Facebook, com uma estrutura de conta mais simples e ferramentas disponíveis no próprio aplicativo, aumentou o número de pessoas interessadas em seus serviços.

Para a empresa digital, o sucesso veio de uma convergência de fatores. “Foi importante a nossa percepção do aplicativo, mas também a estratégia de centralização, organização e ativação dos dados de usuário. No fim, o que conseguimos foi contextualizar o aplicativo dentro da jornada de compra e torná-lo relevante para o usuário no contexto dele, coordenando as táticas de App+Site. Quanto à estratégia de push, só no primeiro mês de disparos, o número de reservas aumentou 17% e o número de aberturas do app cresceu 48%. É uma média de aumento de 69% em aberturas do aplicativo e 20% em reservas a cada disparo. Pensando na estratégia geral, em apenas quatro meses, a participação de investimento nas campanhas de app aumentou de 5% para 44%, enquanto as reservas passaram de 9% para 59%.”, conclui Adones Duarte, da Reamp.

Continue lendo

Tendências

Copyright © 2021 Revista Live Marketing. Todos os Direitos Reservados.